[FP] B. Müller, Tyler.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] B. Müller, Tyler.

Mensagem por Tyler B. Müller em Sab Jul 18, 2015 4:25 am

Tyler Beaument Müller
Vampirismo | 18 | E.U.A | Prisoner | Bissexual
I keep it caged but I can't control it
personality
O original de Tyler se revela quando está próximo de seu irmão: um homem com suas ideias centradas, de boa índole e carinhoso. Ele é seu porto seguro, onde deposita toda sua confiança e esperança de dias melhores. Se Damon um dia quebrar, Tyler com certeza quebrará junto. Ele conhece a parte boa do irmão e se apega a ela, ignorando quase que totalmente a parte sádica dele, até porque ele mesmo tem uma própria. Diferente do irmão foi criado para ser um torturador. Conhece muito bem a anatomia e cérebro humano, resultados das pesquisas que era obrigado a fazer para saber como torturar. Está sempre fazendo algo diferente ou fazendo nada, depende de como seu humor está e qual personalidade ele assume.
O menino sofre com Transtorno Dissociativo de Identidade, resultado dos anos que passou como interrogador da Katsuyu. Após absorver tanta informação e lembranças, o cérebro do menino quebrou, resultando no fragmento de personalidades. Todas são inofensivas em sua maioria, mas uma em especial é perigosa até para ele mesmo. Na maioria do tempo, consegue controlá-la perfeitamente, mas o controle se enfraquece com baques emocionais muito fortes.
The Torturer - É a parte sádica de Tyler. A personalidade que ele assumia enquanto interrogava em nome da Katsuyu. É a personificação do puro sadismo. Tyler perde toda sua compaixão, assumindo a mais pura violência. Sua atitude e linguagem se tornam irresponsáveis, parecendo que o menino perdeu a noção do perigo. Dificilmente aceita tomar ordens, apenas se a pessoa provar ser merecedora na presença dele.
life story
Tyler foi criado pelos Katsuyu sem nunca suspeitar ter sido sequestrado. Foi um belo exemplo de criança mimada, tinha tudo o que queria, quando quisesse. Era o irmão mais novo, então quando Damon saía quem ficava em casa era ele, brincan com seu pai ou estudando. Enquanto criança não tinha qualquer ideia do objetivo da organização mafiosa de seu pai, nunca deixavam Tyler ter motivos para suspeitar. Era criado com a melhor educação possível com professores particulares. A mansão em que vivia tinha uma biblioteca enorme e era ali que o menino estudava. Sempre muito inteligente, se destacava nas suas atividades e não importava o quanto seus professores dificultassem, ele alcançava sem grandes problemas. Dotado de uma memória perfeita, conseguia guardar qualquer informação que tinha contato, seja ela de qualquer um dos cinco sentidos.

Damon era seu super-herói, seu irmão era mais presente que o próprio pai. Ele se preocupava com sua saúde, com seu horário de dormir, com seus estudos, literalmente com a vida do menino, Sempre se alegrava brincar com seu irmão ou só passar um tempo com ele, o que fosse, a apenas a presença dele era importante para Tyler. Tentava sempre aproveitar o tempo que passava com Damon, seja conversando, comentando sobre algo que fez, qualquer coisa, desde que tivesse aquele tempo com o irmão. Foi uma criança muito carinhosa, principalmente com seu irmão, sempre era gentil com os criados e com seus pais.

O menino descobriu seus poderes com apenas 10 anos. Brincava com seu pai de lutar e, de repente, sentiu como tivesse acabado de ver um filme, seu pai parecia mais fraco por um momento. Deu um grito, assustado, não sabia o que estava acontecendo. Seu pai estava no "filme" olhando alguém sofrer. Era uma cena de tortura, onde o pai do menino era quem torturava. Ele olhou assustado para o homem e disse o que aconteceu. O assombro era perceptível na expressão que o dono daquela memória fez. Ele pegou Tyler e levou para seu escritório, o sentou numa cadeira e trancou a porta. Era hora de falar de negócios. — Filho, nós somos mafiosos. Nunca deixei você sair de casa por causa disso, sabia que tinha algo de diferente em você. Se te pegassem, eu perderia. — ele foi curto e grosso, não deixava tempo para menino argumentar ou pensar — Agora, preste atenção. O que fez ali, você pode fazer de novo? Tente, vamos — Tyler se concentrou, apesar de não querer fazer aquilo, e conseguiu fazer de novo, agora era uma cena onde seu pai matava um homem aprisionado numa cadeira, sugando junto mais um pouco da energia de seu pai. Ele segurou o grito, mas estava assustado demais para continuar usando de seu recém-descoberto dom. — Você começa amanhã, sem reclamar. Você será muito útil para a nossa família, acredite. — Ele ordenou que o menino fosse dormir, Tyler se levantou e antes de sair foi ameaçado por seu pai — Não conte ao seu irmão, será nosso segredo. — O amor que tinha pelo pai se tornou em medo, não sabia o que esperar, sua mente de criança não permitia. Mal ele sabia que seria forçado a desistir da infância mais cedo que o esperado.


Amanheceu no outro dia com seu pai. O sol mal tinha nasceu e ele já teria que sair de casa. Ele se arrumou e desceu junto com seu pai, o menino percebeu que nenhum dos criados ainda estava trabalhando, sabia que era muito cedo, antes mesmo das sete horas. Foi levado até um carro preto onde dentro um motorista já os esperava, este era um homem enorme - provavelmente perto dos dois metros - com músculos bem estruturados e com uma expressão nada amigável em seu rosto. Ele já sabia para onde ir, pois só entramos no carro e ele começou a conduzir o veículo. Passamos por ruas que eu desconhecia, alguns becos estranhos, uma estrada de terra até enfim chegar a um galpão. Ao entrar e ver o que se passava ali dentro, o menino desejou nunca ter ido. Tinha um homem amordaçado, pendurado pelos braços, se mantendo em pé apenas nas pontas dos dedos; vários cortes distribuídos pelo corpo; seu rosto estava inchado, provavelmente de levar tantas pancadas. Mas o homem se manteve vivo e calado, ele não havia revelado nada do que eles queriam. — Tem um tempo que estamos com ele aqui, sabe, mas ele não nos fala nada. — disse o pai, pegando uma adaga e fazendo outro corte no braço do homem — Você, meu filho, vai tirar a informação que eu quero. Onde é o esconderijo dele. E nem pense em dizer não, porque eu mato seu irmão se o fizer — o desespero bateu, ele tinha que o fazer. Ali começou a ser moldado o novo Tyler, feito para ser um torturador. Ele conseguiu descobrir onde estava o esconderijo depois algumas tentativas — No restaurante Tofuyaukai, em Kanagawa. Na entrada da frente tem muitos homens, atrás nem tanto. — Era um restaurante conhecido pela família, iam às vezes naquele lugar, era bem conhecido pelo seu bom tratamento com os clientes. Imediatamente o homem fez uma ligação, enquanto Tyler era levado de volta para o carro. O motorista os deixou em casa e foi para outro lugar, provavelmente para o tal restaurante pegá-los de surpresa. Pessoas morreriam, e o menino sabia disso. O homem, morto. Tyler tinha sugado toda sua energia vital junto com suas memórias. Essa foi a primeira pessoa que matou.

Passou um tempo, Tyler era forçado a estudar o corpo humano, toda sua estrutura e até o funcionamento do cérebro humano, para aprender a torturar sem matar, mas causando um sofrimento pior que a morte. Seu pai o forçava a torturar, a ser frio, não ter sentimentos bons enquanto fazia isso. E, em último caso, utilizar de seus poderes para conseguir tirar informações mais valiosas. Forçá-lo a essas coisas deixou marcas impossíveis de retirar. Ao longo dos meses essa foi se tornando a realidade dele, já não se incomodava mais em fazê-lo. Os resultados de suas torturas eram a quase morte, mas ele não se impedia de seu poder. Imagine um corpo todo flagelado, cheio de cortes e feridas, eram como os corpos ficavam após de passarem por Tyler. Mas isso só quando o menino torturava, quando saía dessas "sessões", ele voltava a ser o irmãozinho de Damon, a pessoa gentil e educada que sempre foi. Nunca deixou que seu irmão desconfiasse de nada, Tyler perderia tudo se ele descobrisse. Só o fato de pensar na possibilidade de perder o amor de seu irmão já o deixava aterrorizado, então mantinha tudo em secreto.

Com os anos se passando, algo inevitável aconteceu. Tyler foi forçado a interrogar vários homens, um atrás do outro com seus poderes. Seu cérebro acumulou muita informação tirada das memórias. Nomes, lugares e, principalmente, personalidades. Cada memória trazia um pouco da personalidade do dono e, ao juntar muitas delas, o cérebro do garoto quebrou. Sua mente se fragmentou em várias personalidades, cada uma diferente da outra, mas inofensivas. Tirando uma. Entre os homens estava um dos mais perigosos que ele já conheceu, suas memórias eram horríveis e sua personalidade pior ainda. Foi criado então "The Torturer", personalidade de um homem totalmente sádico e violento, um dos carrascos de umas das máfias rivais da Katsuyu. Demorou para Tyler conseguir controlar perfeitamente essa parte mas, contudo, o controle pode ser enfraquecido e Torturer libertado. Porém quando os irmãos se juntam, é como se nada tivesse acontecido com Tyler.

~ 1 Ano Depois ~

— Mano, tenho mesmo que dormir agora? — Tyler estava debaixo de suas cobertas, ele queria continuar acordado, na concepção do menino ainda era cedo, não era necessário dormir àquela hora mesmo com o compromisso que tinha. Tyler, mesmo decepcionado, seguiu o pedido do irmão. Ele se ajeitou na cama e fechou os olhos para dormir, mas bastaram segundos para que seu quarto fosse invadido. Um homem entrou quebrando a janela, ele carregava uma pistola e esta estava apontada para a cabeça do menino. Ele sentia sua vida esvaindo, aquela era a hora de morte? Rapidamente Tyler reconheceu de onde e porque ele estava ali. O menino tinha extraído informações de um dos capangas de uma máfia rival, e este homem estava carregando o nome dessa máfia, ele pode adivinhar pelas tatuagens no corpo do homem. Mas rapidamente seu irmão voltou ao quarto, se não com certeza ele já estaria morto. O homem atirou, Damon usou a porta blindada como escudo e voltou de mãos limpas para cima do invasor. Ele conseguiu enganar o homem e o socou para a janela, fazendo-o cair lá de cima até o chão. O irmão menor chorava enquanto tapava os ouvidos, ele não aguentava ouvir os sons de tiro, não de tão perto. Mas Damon estava lá, então tudo estava bem, com um único abraço ele se acalmou e parou de chorar. Viu seu irmão pegar uma maleta e, dentro dessa maleta, uma pistola e uma faca. — Você vai matar alguém? — ele olhou nos olhos do irmão e este respondeu — Só aqueles que tentarem de machucar — ele transmitia muita confiança a seu irmão e realmente o protegia, mas infelizmente não de tudo. Ele ficou na cama enquanto o irmão saía para cuidar dos outros invasores. Podiam-se escutar sons de tiros, alguns gritos de dor, móveis e vidros sendo quebrados. Uma luta estava acontecendo, ele esperava o melhor do seu irmão, sempre torcendo por ele.

Passaram alguns minutos até que os sons se cessassem e apenas as vozes de dois homens permanecessem. Um deles era Damon, o outro o menino não conhecia, provavelmente um inimigo. Ele não conseguia entender a conversa, estava muito longe, mas pode ouvir os berros de seu irmão. 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8, 9,10. Dez balas foram disparadas, mas por quem? Foram longos minutos - pelo menos para Tyler - até seu irmão chegar e o buscar para sair da casa. Saiu com pressa com ele, ainda de pijamas. Mas, enquanto desciam as escadas sujas de sangue e com alguns corpos jogados, algo pior os esperava. Um homem muito alto e muito forte e parecia estar atrás do irmão maior. Damon colocou o caçula em um dos cantos e foi brigar com o grandalhão. A briga estava perdida, mas ele tinha que proteger seu irmão. Tyler chorava baixo, tentando ver alguma chance de vitória para o irmão, mas parecia que ele já estava condenado. O sujeito enorme desferia vários golpes, um atrás do outro, em cima de Damon, acertando a maioria. O irmão mais velho não tinha chances, sem passar muito tempo estava no chão, quase desacordado.

O homem aproximou de Damon pronto para desferir o último golpe, mas quando foi que algo de estranho aconteceu. Um círculo de fogo escarlate rodeou o corpo de Damon. As chamas estavam fracas, mas quando o grandalhão se aproximou para matá-lo elas cresceram de proporção e tamanho, como um turbilhão e atingiu o homem, afastando-o. O responsável por aquilo se levantou, ele estava de volta, e a briga só tinha começado. Ambos foram para cima do outro, Damon controlava as chamas com maestria, como se já o fizesse há muito tempo. Tyler, porém, estava assustado e aliviado ao mesmo tempo. Assustado pelo poder destrutivo do irmão, aliviado por ele também ter poderes estranhos. O menor assistia a cada movimento com atenção, ambos os lutadores eram ótimos, mas Damon tinha a vantagem do poder. Por fim, apenas um deles permaneceu em pé: Damon. Ele foi até o derrotado e arrancou seu coração fora. A mão dele penetrava a carne do homem como se fosse manteiga. Reduziu o órgão a cinzas e jogou por cima de si mesmo. Assustado com a  cena, Tyler se aproximou do maior e com uma voz trêmula o chamou — Irmão? — recebeu um olhar frio, o que deixou o menino mais assustado ainda — Seu irmão está morto, eu sou a Fênix.

"Fênix", esse era o nome de Damon agora. Tyler não reconhecia seu irmão em "Fênix", era um homem frio e sem sentimentos, não era a pessoa que conviveu durante anos. Rapidamente eles fizeram as malas e saíram sem planos para voltar. O irmãos mais velho arrastava o mais novo por todas as principais cidades do Japão, onde matava centenas, se não milhares, de pessoas carbonizadas vivas, sem nunca ser pego. Sempre que Tyler perguntava o porque, a resposta era a mesma "Por que eles tem que renascer". Ele sempre tentou achar o irmão bom dentro daquele ser, mas não o achava, nunca. Mas nunca desistiu de procurar, e nunca desistirá. Foi então que o dia chegou. Ambos foram pegos enquanto dormiam. Pessoas que trabalhavam para a Oblivion os drogaram em seu sono e, quando acordaram, a liberdade já tinha sido arrancada deles. A contagem de corpos que Damon deixou? Mais de 3 mil.

delict

Tortura e assassinato de dezenas de pessoas em nome de uma organização mafiosa.
Cúmplice de Damon B. Müller, agindo como auxiliador no assassinato de milhares de pessoas.
Gabriel | 17 | MP/Skype
avatar
Tyler B. Müller
Prisoner
Prisoner

Mensagens : 7
Data de inscrição : 12/07/2015

Ficha do prisioneiro
Nível: 1
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum