[FP] - Hale, Maxwell C.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] - Hale, Maxwell C.

Mensagem por Maxwell C. Hale em Dom Ago 09, 2015 9:02 pm

Maxwell Carter Hale
Alquimia | 19 | Inglaterra | Clever | Bissexual
♪ Who can you trust, when everything you touch turns to gold...? ♫
personality


Descrever o garoto sempre fora um desafio para todos. Ninguém nunca parece conseguir atenção dele o suficiente para adquirir uma conversa agradável e automaticamente, saber seus gostos e desgostos. A primeira vista, com seu sorriso cativante que aparentemente sempre mantém-se no rosto do jovem, juntamente aos olhos azuis que parecem brilhar a todo momento, Maxwell é descrito simplesmente como o príncipe mais calmo que um dia, o planeta já vira.  Com desconhecidos, câmeras e outras coisas que ele não demonstra estar ou não à vontade quando estão próximos, dizem que ele parece ser divertido e educado, não demonstrando arrogância alguma ou qualquer outro sentimento ruim que possa ser resultado de sua vida luxuosa.

Isto é o que dizem dele.

Maxwell é muito mais que isso. É um jovem apaixonado que está sempre em busca de novos objetivos e desafios para cumprir. É alegre com aqueles que julga merecerem sua alegria, e extremamente atencioso com quem lhe demonstra o mesmo respeito que ele costuma dar a todos. Brincalhão, principalmente com a família, é praticamente dito ser o favorito dos funcionários do castelo já que trata cada um deles de um jeito solidário e carinhoso. Amava ler livros e escutar músicas, tornando-se compositor de suas próprias,  e principalmente, quando conseguia privacidade, gostava de cuidar dos animais do castelo. Apesar disto, esconde uma mágoa pelo pai que mistura-se ao sentimentos de raiva e indignação pelo modo que fora tratado por tanto tempo após a descoberta de seus poderes, sentindo-se um um qualquer e muitas vezes, tendo um conflito dentro de si. Sentir ou não sentir a culpa por ter acabado com quase toda a sua família?

life story


Uma vez me disseram que atos são coisas que devem ser pensadas antes de serem feitas. Simples atos geram grandes consequências, e acho que para mim, as consequências de meus simples atos são gigantes. Quando se é da realeza, considerado importante, uma celebridade, pelas pessoas, as coisas boas que você faz sempre são vistas por todos, narradas de um jeito como se fosse a coisa mais espetacular que alguém já fez. Eu podia dar risada em frente as câmeras que as pessoas achariam ela a risada perfeita e a reproduziriam na internet. Em compensação, quando eu fizesse alguma coisa ruim, seria péssimo.

Desde que eu nasci, tive tudo aquilo que sempre desejei. Não precisava pedir demais para ter o que eu queria e minha vida de difícil não tinha nada. Mas é sempre quando se cresce que tudo piora. A descoberta de meus poderes fora uma destas coisas piores. Minha família achava que eu não deveria me expor, porque aquilo me faria ser preso com os vários "seres" que haviam nascido do jeito errado. Eu me sentia especial, escolhido, diferente. Tudo de bom passava pela minha mente quando sem querer, eu encostava em algum dos meus brinquedos e eles se transformavam em água, papel e até mesmo Ouro.

Pedras preciosas eram coisas raras tanto naqueles dias quanto atualmente. Ouro era algo que facilmente poderia evitar que uma família entrasse em falência, e saber que eu tinha o poder de aumentar a riqueza da família para sempre fez meu pai esquecer todo o amor que tinha por mim e deixar que a ganância enchesse a cabeça. Eu passei a ser um objeto e eu tinha que fazer tudo o que ele pedia. Eu não via problemas naquilo, mas meu pai... A cada vez que eu não conseguia e transformava o material em algo que não fosse brilhante e dourado, eu era castigado. Minhas costas ficavam avermelhadas, quase cheias de sangue e ele descontava toda a raiva que sentia em mim. Enquanto eu acumulava a minha.

Não havia nada que ninguém pudesse fazer para me ajudar. Meu pai me ameaçava dizendo que se eu colocasse minha situação em público, a família cairia para sempre e seria minha culpa. Aquilo me motivava a tentar usar o meu poder conforme ele pedia, mas só piorava minha situação. E apanhar todos os dias não me ajudava. Eu aguentava aquilo, firme, mas houve uma hora que não consegui mais aguentar e descontei tudo o que eu sentia, com meus poderes.

Estava em uma discussão com meu pai. Ele gritava, dizendo o quão incompetente eu era. Eu permanecia parado, apenas escutando de cabeça baixa, quando ele me empurrou e eu cai no chão. Minha expressão mudou de calma e medo, para raiva, e eu deixei que meus dedos encostassem no chão, e que meu poder acabasse com minha angústia. O toque provocou um brilho dourado, e ali começou o desejo verdadeiro de meu pai pelo ouro. O dourado começou a cobrir o chão aos poucos, me rodeando e deixando tudo coberto pelo brilho. Maravilhado, o rei esqueceu de se afastar e permaneceu parado, e com isto, deixou que o ouro atingisse seus pés e começasse a cobri-lo. Aos poucos, seu corpo inteiro estava coberto, e meu pai já não podia se movimentar mais.

Ele morrera, cercado por aquilo que passou a amar.

delict
Homicídio; assassino de um membro da família real, considerado crime capaz de garantir a pena de morte na Inglaterra.  

Lucas | 15 | Skype/MP
avatar
Maxwell C. Hale
Clever
Clever

Mensagens : 1
Data de inscrição : 25/07/2015

Ficha do prisioneiro
Nível: 1
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] - Hale, Maxwell C.

Mensagem por Heaven Weizsäcker em Seg Ago 17, 2015 3:04 pm


Aprovado


Bem vindo a Oblivion!

● ● ●

BAND-AIDS DON'T FIX BULLET HOLES
IF YOU LOVE LIKE THAT, BLOOD RUNS COLD
®
avatar
Heaven Weizsäcker
Nurse
Nurse

Mensagens : 31
Data de inscrição : 15/07/2015
Idade : 32
Localização : Oblivion.

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum