[FP] Vause, AlexPrepon

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] Vause, AlexPrepon

Mensagem por Alex Prepon Vause em Seg Jun 15, 2015 8:35 pm

Alex Prepon Vause
Eletrocinese| 23 anos| Estados Unidos da América | Rebel | Homossexual
Maybe I never forgave you for leaving... because you broke my fucking heart.
personality
Três palavras definem exatamente o que Alex é: persuasiva, dissimulada e sádica. Alex têm a sensação de ter uma tarefa específica no mundo e está sempre tentando descobrir o que é por isso carrega um ar de mistério por ser muito observadora e pensativa. Não aceita autoridades nem regras controladoras. Alex sente-se frustada com o sistema cotidiano, não sente remorso nem culpa facilmente, é hiperativa, manipuladora, ciumenta e possessiva.

Alex tem uma mente criativa, é inconsequente e cabeça dura. Também é corajosa e demonstra ter medo de incertezas. Alex é uma sobrevivente, então ela pode tomar decisões moralmente questionáveis para salvar a própria pele de vez em quando. Isso não muda o fato de que ela é uma pessoa muito inteligente, divertida e que não tem medo de tomar uma atitude drástica, quando a situação exige. Ela tem um senso de humor sarcástico e não tem o menor problema em usá-lo contra quem quer que seja. A jovem não é muito curiosa e mas tem um raciocínio rápido, com uma língua afiada e uma maneira direta de abordar as coisas, Alex aprende tudo muito rápido e ensina o que sabe muito bem para quem quiser aprender. Ela é descrita pelas pessoas mais próximas como teimosa, e fica furiosa quando alguém diz algo que ela odeia ou discorda, e vai atacar de volta verbalmente ou fisicamente caso se sinta reprimida ou agredida por outras pessoas. Alex não é solitária e é uma ótima aliada quando se trata de matar pessoas a sangue frio.

Alex tem alguns hobbies: ela gosta muito de animais, principalmente gatos e adora passar horas olhando para seu gato de estimação. Ela ama ler e tem um grande vocabulário, e também dedica seu tempo livre a desenhar, jogar xadrez, praticar tiro ao alvo e dançar apesar de suas dancinhas desajeitadas serem de quem nasceu sem não ter nem ideia do que é ritmo. Alex é agitada, ama festas e quase sempre está ligada a pessoas consideradas "más companhias".
life story

If you love somebody
Better tell them while they’re here ‘cause they just may run away from you

Os espelhos se quebraram – A verdadeira cara da insanidade fora revelada –  A lógica imoral do universo e o medo da solidão se fundiram naquela noite silenciosa de sexta feira. O céu estava limpo, e o manto estrelado que o cobria, trazia consigo a derrota de um homem fazendo uma uma única pergunta para a mente da humanidade: Seria a Loucura a maior genialidade humana?

Tudo começou com Diane Prepon e Lee Burley Vause, um casal de cientistas que lideravam um grupo não muito famoso de pesquisadores, composto por Pennsatucky, Luschek e Tricia. Diane e Lee vinham comemorando a futura chegada de sua filha a meses, preparando cada parte da grande casa para receber o bebê que faria parte da vida deles.

O dia do parto estava sendo sagrado para a pequena família que agora teria três pessoas, mas tudo acabou em tragédia. Diane morrera no parto e agora Lee se via sozinho, com uma recém nascida nos braços, que chamou carinhosamente de Alex. O patriarca da família não conseguiu superar a perda da esposa, e agora o corpo sem vida da mulher estava congelado no laboratório onde ele trabalhava.

Os anos se seguiram, Lee dividia seu tempo em cuidar de sua filha, que agora possuía cinco anos e havia asma crônica além criar um soro que poderia restaurar a função cerebral para os organismos mortos, esperamos fornecer novos avanços em cuidados para pacientes de trauma, bem como outros que sofrem com doenças degenerativas e quem sabe trazer pessoas mortas de volta a vida? Era essa a esperança de Lee, ter Diane de volta nos braços e após um surto de virose preocupante era um fato que o governo estava financiando todos os tipos de experimentos para novas criações da vacinas o que facilitou o trabalho de Lee.

O primeiro avanço real da equipe de cientistas fora quando conseguiram restaurar o sistema cerebral funcional de um cachorro em coma,utilizando apenas o soro criado, nomeado como "Reborn" e correntes elétricas. Lee levou sua criação para as autoridades, alegando que, com o tempo conseguiria utiliza-lo em humanos e que com mais alguns testes o soro poderia além de trazer pessoas em coma de volta trazer pessoas a vida e que talvez, pudessem utilizar o Reborn para aprimorar a função cerebral em organismos fazendo-os mais resistentes a doenças.

A alegria de Lee não durou muito, era uma noite chuvosa de quarta, Alex brincava com Tricia na sala principal do laboratório enquanto os outros membros da equipe comemoravam pois aquele seria o dia de começar os experimentos em humanos, com pessoas em coma abandonadas em hospitais pela família, mas antes que a pesquisa fosse testada, uma organização governamental invadiu o laboratório da equipe copiando todos os dados dos discos rígidos e destruindo cada computador presente no lugar, fazendo Lee tomar decisões precipitadas, já que tudo o que ele queria era ver o seu trabalho vir a ser concretizado e evoluído o bastante para trazer mortos de volta a vida e finalmente trazer sua esposa de volta. À luz que tomou conta do lugar trouxe o desastre, durante a briga corpo a corpo de Lee e um dos agentes, uma arma fora disparada atingindo a única filha e família do cientista, que ficou gravemente ferida.

Os meses se passaram e Alex estava em coma, o sofrimento não só de Lee mas como de sua equipe que ajudavam a cuidar de Alex, tornava o laboratório cada vez mais um ambiente depressivo. Com o resto de ingredientes que possuía e com ajuda de sua equipe, Lee conseguiu reproduzir uma pequena dose do soro criado e então usa-o na própria filha.

Take the easy way out
I kept on falling short of something

Depois de três exaustas tentativas, Alex saiu do coma. Não demorou muito para que percebessem que aquela criança que acordara não era a mesma que viram quase perecer. A asma da garota estava curada e Alex se tornou uma criança fechada e intolerante. Ressonâncias magnéticas mostraram que, agora, diferente de todos os seres humanos que conseguem utilizar apenas 20% do cérebro de cada vez, Alex conseguia utilizar 100% todos os segundos, fazendo com que o quociente de inteligência da garota chegasse a cima de 240 e que ela possuísse autocontrole, agilidade, destreza raciocínio rápido e poder de observação invejáveis, porém não sobre-humanos.

Os grandes mestres da pseudociência e a parapsicologia consideraram Alex a primeira criança índigo. Alex cresceu em tamanho e criatividade e sua intuição, espontaneidade, resistência à moralidade estrita e restritiva cresceram proporcionalmente a ela e durante sua adolescência já sentia dificuldades em se adaptar as regras da sociedade e foi por esse instinto de não ser submissa a nada e ninguém que Alex começou a se envolver com más influências.

Ao completar dezessete anos, a jovem já havia conhecimento o bastante para se tornar juíza ou neuro cirurgiã, mas optou por se mudar para New York com um grupo de amigos e usava sua habilidade de ler livros em segundos para que pudesse achar furos nas leis locais para poder extorquir e enganar pessoas, ganhando assim dinheiro a custas dos outros e não demorou muito para que Alex estivesse envolvida em um quartel internacional de drogas.

But don’t look down
‘Cause I’m on top of the world, paying my dues to the dirt

Aos dezoito anos Alex já era não só parte mas uma das maiores traficantes de heroína do maior quartel internacional de drogas conhecido. Ela já havia viajado por quase todos os países do mundo e era uma das garotas mais chamadas para recrutar mulas, pois Alex sempre foi ótima em analisar personalidade de pessoas.

Durante o outono, pouco antes de completar dezenove anos, dores de cabeça insuportáveis começaram a assombrar a jovem Vause que não exitou em voltar para Missouri, aonde seu pai residia para que ele pudesse ajuda-la a fazer tal dor passar. Após uma bateria de exames fora comprovado que o "Reborn" por algum motivo desconhecido fora reativado no cérebro da garota fazendo uma grande mutação genética na mesma e diferente de todas as outras crianças com mutações da idade de Alex, ela não havia sido vacinada com a mesma injeção que as outras e sim com a criação de seu pai que possuía componentes semelhantes a tal injeção. A dor estava cada dia mais insuportável levando Alex a ter acessos de raiva com mais frequência. Lee estava junto da filha e acompanhou o momento em que a pupila da garota se dilatou cobrindo completamente a íris e a esclerótica da menina, que agora havia uma aparência endemoniada e exausta por ter destruído todos os objetos que estavam ao alcance de suas mãos. Foi a primeira vez que Lee sentiu medo de sua própria criação. Alex foi acalmada com remédios para ansiedade e stress e logo seus olhos voltaram ao normal.

Lee continuou acompanhando as mutações de sua filha mas não sabe ao certo quando Alex começou a controlar a eletricidade porém em uma noite ao chegar em casa mais tarde que o de costume do laboratório, Lee percebeu luzes piscando pela fresta da porta aberta de sua filha e ao entrar assutado dentro do mesmo viu Alex dormindo e sua mão tocava o abajur e o fluxo de energia que saía da tomada passava pela mão de Alex e voltava ao abajur fazendo a lâmpada encandeceste piscar freneticamente.

Lee se tornou obcecado pela mutação da filha e desde esse dia passou a treina-la de forma abusiva e descontrolada, ele exigia muito de Alex e a punia severamente quando ela retrocedia. Era uma noite fria, pouco antes de Alex completar 21 anos, Lee estava a castigando mais uma vez, uma lâmpada solitária e branca no teto iluminava a jovem. Calada, cabeça baixa. Imersa em seus pensamentos perturbados. Suas mãos estavam levantadas de forma diagonal, cada uma para um lado amarradas a fios de cobre rudimentares ligados cada um a uma chave de energia. Seus pulsos cobertos por algemas grossas que se conectavam a correntes enormes que subiam para o teto, e passando além da lâmpada, se perdiam no escuro, como se fosse infinito. Do seu nariz saía um rastro de sangue seco que ia até o queixo. No chão branco e esterilizado havia gotas grossas de sangue. Suas pernas doíam, e seus pés estavam mergulhados até a panturrilha em dois baldes de água gelada. O cansaço a açoitava como se toda a areia do mundo estivesse nas suas costas e sua boca gemia e berrava de dor toda vez que Lee ligava as chaves de energia fazendo a corrente elétrica percorrer todo o corpo dela e a água em seus pés fazia a dor ser ainda mais insuportável, porém não o bastante para leva-la a óbito. Lee havia se tornado um sádico obcecado e de pai amigável e cuidadoso havia se tornando um cientista insano.

Quatro dias depois de tal tortura, Alex matou seu pai eletrocutado. Não demorou para que ela fugisse para o Japão, aonde seu antigo chefe de tráfico estava e durante alguns meses voltou a trabalhar no tráfico, matando os concorrentes apesar de não controlar muito bem seus poderes e importando drogas em vários países. seis meses antes de Alex completar 23 anos uma das mulas do quartel internacional de drogas que ela trabalhava foi presa, se tratava de Melody Draco, que deu as autoridades o nome de mais da metade dos traficantes de tal facção inclusive o de Vause.

Logo Alex foi capturada em um hotel em Veneza e após um acordo com o juiz que cuidou de seu caso estava a caminho da da tão famosa Oblivion. Alex assumiu pelo menos quinze assassinatos além do seu próprio pai. Alex não foi hora alguma agressiva desde que chegou a Oblivion, mas os guardas não deixam se enganar pela calmaria da jovem, que passava maior parte do tempo lendo e interagindo pacificamente com outras detentas, sabem que no fundo Alex planeja algo, alguns dizem que é uma fuga rápida e sem chamar muita atenção, outros dizem que é um motim.

Quanto o que Alex pensa? Alex pensa que aquele lugar, ao invés de ser o fim do mundo, como todos pensam, é o topo do mundo. E que um lugar com tantas pessoas cheias de ódio, rancor e habilidades tem muito a oferecer para seu ego e seus planos futuros.

delict

1º Tráfico internacional de drogas. (Alex traficava apenas heroína)
2º Formação de quadrilha.
3º Falsidade ideológica. (pois foi encontrada com uma mala cheia de documentos falsos).
4º Assassinato.
5º Extorsão. (Por recrutar mulas, geralmente adolescentes entre 15 e 19 anos)
6º Estelionato.
7º Fraude.

Gih' | 21 | MP


Última edição por Alex Prepon Vause em Seg Jun 15, 2015 10:42 pm, editado 1 vez(es)

● ● ●

Don't break my fucking heart!

Neither deeper royalty may disappear before the chaos!
avatar
Alex Prepon Vause
Rebel
Rebel

Mensagens : 4
Data de inscrição : 15/06/2015
Idade : 25
Localização : Oblivion

Ficha do prisioneiro
Nível: 1
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [FP] Vause, AlexPrepon

Mensagem por Frank Scherbitsky Rose em Seg Jun 15, 2015 8:46 pm


Aprovado


Uma personalidade diferente, mas também ruim. Maléfica poderia resumir exatamente o que Alex é ou se tornou. Um desnaturado que usufruiu dos próprios poderes da filha para testar, treinar e brincar com ela como se fosse um objeto, se bem que em Oblivion tudo será igual, que má sorte querida. Matou pessoas, mentiu e cometeu vários crimes, seu apelido é problema.
Bem vinda a Oblivion.

● ● ●

Frank
avatar
Frank Scherbitsky Rose
The command
The command

Mensagens : 198
Data de inscrição : 21/01/2015
Idade : 36

Ficha do prisioneiro
Nível: 10
Experiência:
100/100  (100/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário http://prisonofoblivion.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum